As principais causas, características e cuidados com a pele oleosa

Comum entre as brasileiras e os jovens, a pele oleosa é um dos tipos de pele que mais exige cuidados especiais em sua rotina, principalmente para a prevenção do aumento excessivo da oleosidade natural, da obstrução dos poros e do surgimento de acne.

Engana-se quem pensa que não existe uma forma prática e eficaz de controlar a oleosidade da pele. Para conhecer mais sobre os cuidados que mais funcionam na rotina da pele oleosa, venha conferir o guia que preparamos!

O que é a pele oleosa?

A característica que pode definir a pele oleosa é a produção excessiva de oleosidade pelas glândulas sebáceas, principalmente nas áreas centrais do rosto (mais conhecida como zona T), como testa e nariz. Também de forma visível, é possível observar poros mais dilatados, um aspecto brilhante na pele e, em alguns casos, a propensão à acne e comedões.

A oleosidade é um fator comum para qualquer tipo de pele – ela inclusive desempenha um papel fundamental em sua saúde – porém, na pele oleosa, essa produção se torna excessiva e começa a exigir cuidados específicos para evitar quadros de inflamações: as famosas “espinhas”.

Mais comum durante a adolescência, período em que o corpo está passando por constantes alterações hormonais, a pele oleosa pode atingir diferentes idades e fases da vida, afinal, suas causas são muito variadas.

7 principais causas da pele oleosa

Conforme citado acima, a pele oleosa não se limita a determinadas fases da vida e, apesar de ser mais comum em momentos onde o corpo está passando por mudanças hormonais, existem outras causas que também podem favorecer o aumento da produção de oleosidade da pele. Vamos conhecê-las?

1. Alterações hormonais

Existem momentos específicos da vida em que as alterações hormonais se tornam mais naturais e até mesmo esperadas . Em conjunto com essas alterações, pode surgir também produção excessiva de oleosidade. O mais comum é que essas alterações impactem a produção de oleosidade padrão da pele durante a puberdade, período de tensão menstruação, gravidez e menopausa. Períodos de estresse e doenças também podem impactar a produção de oleosidade.

2. Alimentação inadequada

Uma alimentação equilibrada não garante apenas a saúde e energia para o funcionamento do corpo, mas também pode ajudar na prevenção da pele oleosa. O consumo excessivo de alimentos ricos em gordura, ultraprocessados, excesso de açúcar e laticínios podem aumentar a produção de oleosidade e gerar a obstrução dos poros.

3. Clima

A temperatura ambiente também pode alterar a produção de oleosidade. Em locais de clima tropical e períodos em que o clima está mais quente e úmido, como durante o verão, a oleosidade excessiva da pele é muito comum. Por isso, é importante prestar atenção nos tipos de produtos que utilizados nessas condições, como o protetor solar, que precisa ser o certo para as peles oleosas.

4. Fatores genéticos

Muitas vezes a pele oleosa não pode ser evitada, pois é decorrente da herança genética da pessoa. Nesses casos, o melhor a se fazer é encontrar os cuidados ideais para o dia a dia e a melhor maneira de controlar a oleosidade excessiva.

5. Limpeza em excesso

É mito a afirmação de que a pele oleosa exige uma rotina de limpeza excessiva. Na realidade, o excesso de lavagens pode ocasionar o efeito rebote, estimulando a produção de ainda mais oleosidade pelas glândulas sebáceas. Por isso, limite-se a uma rotina limpeza duas vezes ao dia – pela manhã e à noite – ou conforme orientação do dermatologista.

6. Cosméticos inadequados

É importante prestar atenção a todos aos produtos que você aplica na pele, além dos produtos específicos para o tratamento, outros produtos aplicados também podem agravar a produção de oleosidade. Maquiagens à base de óleo podem obstruir os poros e causar inflamações, assim como cremes oclusivos.

7. Remédios e tratamentos

Assim como a alteração hormonal, a utilização de medicamentos e procedimentos para o tratamento de doenças podem causar o ressecamento intenso da pele. Nesses casos, pode ocorrer efeito rebote para compensar a diminuição de sebo e o aumento da oleosidade. Por isso, a rotina de cuidados deve ser intensificada para manter a barreira da pele saudável e o equilíbrio da oleosidade.

Rotina de cuidados para pele oleosa

A melhor forma de lidar com a pele oleosa ela é encontrar uma rotina de cuidados que atenda às suas principais necessidades e a mantenha saudável. Para ajudar a criar hábitos diários benéficos para a sua pele, existem algumas dicas indispensáveis.

Limpeza do rosto pela manhã e antes de dormir

A limpeza pela manhã e antes de dormir é um passo básico, mas que faz toda a diferença quando o assunto é a pele oleosa. Como já comentamos aqui, a limpeza excessiva não é recomendada, pois pode causar o efeito rebote, mas é importante mantê-la na rotina pelo menos duas vezes ao dia para eliminar o acúmulo de oleosidade, resíduos e até mesmo resquícios da maquiagem.

Durante a limpeza, lembre-se de não esfregar a pele ou aplicar doses excessivas de produto, essas duas atitudes podem sensibilizar a pele e causar irritação. Aposte sempre nos produtos específicos para o controle da oleosidade.

Hidratação

Diferente do que se pensa, uma pele oleosa não necessariamente significa uma pele hidratada, afinal, a hidratação fornece à pele a quantidade adequada de água para que ela se mantenha saudável e equilibrada. Junto à oleosidade em quantidade adequada, forma o chamado manto hidrolipídico: uma mistura que forma um filme protetor na pele, agindo contra os danos ocasionados por agressões diárias.

Incluir a etapa de hidratação na rotina de cuidados com a pele oleosa é fundamental para garantir esse equilíbrio da pele. Aqui, o grande diferencial é apostar em produtos não comedogênicos – que evitam a obstrução de poros – e com rápida absorção, que oferecem efeito toque seco.

Proteção e maquiagem

Assim como na hidratação, o protetor solar e a maquiagem que serão aplicada na pele oleosa também precisam ser escolhidos de forma correta. Produtos mais leves e sequinhos ajudam a evitar um aspecto carregado na pele, e normalmente oferecem um risco menor de obstrução dos poros – o que pode diminuir consideravelmente a tendência de acnes no rosto. O acabamento matte em protetores, maquiagens e produtos para o rosto também é um ótimo aliado para as peles oleosas!

Ativos “amigos” da pele oleosa

Existem também ativos que podem potencializar sua rotina, oferecendo renovação celular e regulação da oleosidade. Lembre-se que o acompanhamento de um dermatologista é fundamental para te ajudar a escolher as melhores alternativas para o seu tipo de pele. Os principais são:

  1. Ácido salicílico: tem ação anti-inflamatória, ajuda na desobstrução dos poros e na prevenção da acne;
  2. Nicotinamida: também conhecida como niacinamida, a vitamina do complexo B ajuda a reduzir o ressecamento sem estimular a oleosidade;
  3. Zinco: ajuda a regular a produção de oleosidade e o excesso de brilho da pele.

Com a rotina de cuidados certa e o entendimento das principais características e necessidades da pele oleosa, fica mais fácil mantê-la saudável e protegida. Não deixe de conhecer também nossos outros artigos sobre os cuidados dermatológicos mais importantes para sua pele. Nos vemos no próximo post!